Endereço de e-mail

Senha

Quem somos

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

História do Colibri Orquídeas

O Colibri Orquídeas situa-se no município de São Lourenço da Serra, a cerca de 60 km de São Paulo.

 

Antes de tornar-se um orquidário, o sítio era uma granja para frangos de corte, atividade que se iniciou ali em 1978, à custa de muito trabalho duro, e que perdurou até 1995, quando a falência da Cooperativa Agrícola de Cotia inviabilizou a atividade de muitas granjas de porte familiar. Durante algum tempo o sítio e a estrutura da granja ficaram inativos, enquanto a família buscava uma nova atividade econômica. Nessa época, a maior parte da família foi para o Japão, em busca de conhecimento técnico e de recursos para desenvolver algo novo no sítio - panorama bastante comum a muitas famílias de origem japonesa durante a década de 90.

 

Em 1996, Lúcia Morimoto foi ao Japão fazer um estágio com produção de cogumelos, mas a atividade mostrou-se pouco viável devido ao mercado brasileiro, muito restrito para este tipo de produto na época.

 

Vista aérea do orquidário

 

Pouco depois, o pai de Lúcia, Katsuichi Morimoto, conheceu um produtor de orquídeas da província japonesa de Kochi, de onde ele mesmo emigrara para o Brasil. Este produtor, sr. Akashi, acabou tornando-se o mestre da Lúcia, que passou cerca de um ano em sua casa no Japão, aprendendo sobre cultivo de orquídeas e sua reprodução em laboratório. Em 1997 a Lúcia voltou então para o Brasil, para dar início às primeiras atividades do que se tornaria o Colibri Orquídeas. Nessa ocasião, a sua "vaga" no orquidário do sr. Akashi foi assumida pela Márcia, irmã mais nova.

 

Vista interna das estufas

 

Assim, iniciou-se a implementação do laboratório e da primeira estufa de produção no sítio. Foi uma época em que muito trabalho e criatividade se juntaram para contornar as dificuldades naturais ao início de qualquer empreendimento. Márcia voltou do Japão, a família foi se integrando cada vez mais ao trabalho com as orquídeas e a atividade consolidou-se definitivamente.

 

Sempre procurando aprofundar seus conhecimentos, Lúcia associou-se a AOSP (Associação Orquidófila de São Paulo) em 1998 , o que levou o Colibri a participar de suas primeiras exposições em 1999. Com o tempo, o número de espécies produzidas no sítio foi ampliando-se cada vez mais, abrangendo espécies brasileiras e estrangeiras e também híbridos. Ano após ano, cada antigo galpão foi dando lugar a estufas de produção. Atualmente, da antiga granja restaram apenas fotos e memórias.

 

Laboratório Colibri Orquídeas

 

Seguindo uma política de ampliar a variedade de espécies produzidas sem abrir mão da qualidade, o Colibri busca adquirir, no Brasil e no exterior, espécies e híbridos diferenciados para acrescentar ao seu plantel de matrizes. Graças a essa variedade, e a um bom acerto no cultivo das mudas comerciais, o orquidário tem sido convidado a participar de diversas exposições dentro e fora do Estado de São Paulo.

 

Hoje, a integração de toda a família no empreendimento permite um trabalho abrangente, que inicia-se na seleção de matrizes, passa pela reprodução em laboratório, cultivo das mudas até seu florescimento, a preparação e entrega de plantas no atacado e participação em exposições. Nenhum dos envolvidos no trabalho, porém, considera-se expert no assunto; ao contrário, foi justamente um aprendizado constante que permitiu o caminho até aqui, e é esse mesmo caminho que permite seguir adiante.